Banhos de Constantino - Arles

Banhos de Constantino - Arles


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Os Banhos Constantine (Thermes de Constantin) são um conjunto bem preservado de antigos banhos públicos romanos na cidade de Arles, na Provença.

História de Constantine Baths

Datando do século 4 DC, os Banhos de Constantino já fizeram parte de um palácio imperial conhecido como Palais Constantine. Também se pensa que este era um dos três conjuntos de banhos públicos em Arles Romano.

Os primeiros banhos romanos antigos foram descobertos na Praça da República em 1675, aquando da ereção do obelisco e, portanto, encontram-se hoje por baixo deste monumento. Outra construção do balneário, incluindo o plano hipotético de vestígios, foi construída perto do início do século III, fora das muralhas, a sul da cidade. Essas duas instituições são os banhos de Constantino descritos aqui. O sucesso estrutural e funcional dos banhos deve-se principalmente à invenção dos tepidários. Eles permitiam circular o ar quente sob o piso das partes elevadas através dos tendões dos tijolos, a suspensura. O ar é então evacuado através dos canais verticais dos tubuli, dobrando as paredes. Esses elementos ainda são claramente visíveis nos banhos termais de Arles.

Constantine Baths hoje

Hoje, os visitantes podem ver os restos bem preservados dos Banhos de Constantino, sendo a parte escavada apenas a área norte. Embora apenas uma fração desses banhos seja visível, o que pode ser visto é fascinante e inclui várias das seções de banho. Os Banhos Constantine são um Patrimônio Mundial da UNESCO.

Existem também vários outros sítios romanos em Arles que os visitantes devem experimentar e ver, incluindo o Teatro Romano de Arles, o Anfiteatro de Arles e o Museu Arqueológico.

Chegando a Constantine Baths

O endereço dos Banhos Constantine é Rue du Grand-Prieuré, 13200 Arles. Um bilhete de 9 € permite a entrada neste local e nos outros quatro antigos locais romanos em Arles.

Os Banhos Constantine ficam a cerca de 5 minutos a pé do centro de Arles e da Stairway Trinquetaille Bridge. O banho também fica a cerca de 5 minutos a pé do Anfiteatro Arles.


Guia da cidade: Arles

Arles é uma pequena cidade no sul da França situada entre Montpellier e Marselha. Possui uma rica história devido à sua importância como província romana. Vários de seus monumentos românicos estão listados como Patrimônios Mundiais da UNESCO.

Além disso, Arles foi a casa de van Gogh por cerca de 15 meses no final do século XIX. Durante esse tempo, ele criou mais de 300 peças de trabalho!

Devido ao seu passado como província romana, Arles tem muito a oferecer turisticamente. Neste guia da cidade, tentarei dar-lhe uma breve visão geral do que você pode visitar em Arles durante uma curta viagem à cidade.

Place de la Republique em Arles

A place de la Republique representa o centro de Arles e é um bom ponto de partida para passear. Existem vários edifícios importantes em torno desta praça, incluindo a Igreja de St. Trophime, o Claustro de St. Throphime, a Câmara Municipal, bem como a Igreja de Sainte-Anne. No meio da praça, você também encontra um obelisco romano.

Place de la Republique Arles

o Igreja de São Troféu é uma antiga catedral e agora igreja católica construída em estilo românico. Ocupa o período do século XII ao século XV e localiza-se no antigo local da basílica de Santo Estêvão, que no século V se localizava em Arles.

Adjacente à igreja, você encontrará o Claustro de São Troféu. Semelhante à Igreja Católica Romana, é construída em um fino estilo românico com belas colunas. É possível entrar no claustro para explorar o pátio interior ou subir escadas para desfrutar de uma melhor vista.

No outro site da Igreja você pode encontrar o histórico Prefeitura de Arles. O edifício foi concluído em 1676.

Movendo-se ainda mais para a esquerda da prefeitura, você pode ver outra igreja. Isto é o Igreja de Sainte-Anne do século XVII.

Anfiteatro Romano em Arles

Um dos marcos mais importantes de Arles é claramente o Anfiteatro Romano construído em 90 DC. Antigamente, servia de palco para corridas e batalhas & # 8211 hoje em dia as touradas, bem como concertos acontecem aqui.

Ao visitar o anfiteatro, você pode comprar um ingresso combinado que permite visitar mais três ou quatro monumentos romanos em Arles. Uma vantagem de visitar o anfiteatro é também apreciar a vista das primeiras fileiras de assentos sobre a cidade de Arles em direção ao Ródano.

Arles Jardin d & # 8217été

Perto do anfiteatro você também encontrará o Jardim de Verão, que é um pequeno parque público no centro da cidade. O jardim que foi criado durante o século 19 é, à semelhança do resto da cidade, também um local histórico com artefatos antigos.

Perto do parque, você também encontrará alguns dos restos da muralha da cidade velha. A torre & # 8216Tour des Mourgues & # 8217 é a parte mais bem preservada da antiga muralha da fortificação.

Banhos de Constantino em Arles

As Termas de Constantino, também conhecidas como Termas de Constantino, estão localizadas perto do rio Ródano. Você pode, portanto, combinar facilmente um passeio à beira do rio com uma visita aos Banhos Romanos.

Os banhos datam de muito tempo atrás, pelo que só podem ser avistados pequenos vestígios, incluindo o Cladarium, o Tepidarium, bem como partes do pavimento radiante.

Teatro Romano de Arles

Este antigo teatro romano foi construído durante o reinado do imperador Augusto e está, portanto, entre os primeiros teatros de pedra do Império Romano.

Hoje você pode visitar as ruínas deste teatro histórico, que também é usado hoje para peças de teatro.

Nossa impressão geral de Arles

Arles é mais conhecido por duas coisas: seu anfiteatro e sua relação com Van Gogh. Mas a cidade como um todo tem muito mais a oferecer. Além de Nimes, é a única cidade da Provença com tantos monumentos antigos e # 8211 um verdadeiro espírito romano, por assim dizer! Arles é definitivamente uma cidade especial que não se assemelha a muitas das outras cidades francesas que já visitamos.

Você tem alguma pergunta sobre Arles? Fique à vontade para perguntar ou compartilhar suas impressões nos comentários!


Mapa de Arles

Arles é uma cidade mais animada do que Orange. Extremamente turística também, especialmente a área ao redor do anfiteatro. Este edifício romano ocupa um espaço central da cidade digno de uma catedral. Ainda está em uso como praça de touros. O vizinho teatro romano não guarda muito mais do que o que resta.

Perto (e sinalizado) fica o monumento românico mais importante de Arles: a Igreja de São Troféu. A sua decoração exterior é excelente. No interior principalmente as enormes tapeçarias chamam a atenção. De alguma forma, perdi a entrada para os claustros, que também dizem ser ricos em esculturas.

Finalmente, caminhei para o sul, até o cemitério de Les Alyscamps. Eu estava com minha mochila (incluindo aparelhos eletrônicos como laptop e Kindle) enquanto estava a caminho do aeroporto em Marselha. Eu estava um pouco preocupado vagando por uma necrópole desolada com todos os meus objetos de valor, mas Les Alyscamps provou ser quase tão turístico quanto o resto de Arles. É um bom lugar para um passeio, porém, e dê uma olhada na velha igreja que agora é o domínio de vários pombos.


Foco da cidade: Arles no sul da França

A porta de entrada norte para Camargue, Arles combina com sucesso o muito antigo e o totalmente moderno. Gillian Thornton segue os passos romanos para encontrar Van Gogh

Venha para Arles e não demorará muito para que você encontre os romanos: o legado construído ainda tem um impacto considerável 2.000 anos depois. Van Gogh também aparece regularmente, depois de passar seu período mais produtivo nas ruas estreitas e praças sombreadas. Mas tenho que admitir que quase senti falta de Picasso, tamanha é a riqueza de atrações nesta cidade listada pela UNESCO. E este ano, Arles comemora a abertura de uma nova adição atraente ao horizonte.

Situada no vértice norte do delta do Ródano, porta de entrada para os pântanos de Camargue, Arles foi inicialmente uma cidade celta, colonizada pelos gregos e depois a partir do século I DC, rapidamente desenvolvida pelos romanos. O século 12 viu o surgimento de uma arquitetura românica notável, apenas parcialmente substituída no século 17 por moradias provençais burguesas. Então, hoje, Arles oferece camadas de arquitetura de época em um centro compacto de cidade.

No centro da cidade velha encontra-se o anfiteatro romano, também referido como arena devido aos jogos de touros que ainda aí decorrem. Impressionante de qualquer ângulo, este monumento imponente relembra dramaticamente os dias em que mais de 50.000 pessoas viviam na cidade ribeirinha de Arelate. Mais de 20.000 espectadores podiam assistir aos jogos aqui a qualquer momento, mas na Idade Média, este vasto espaço - 130m de comprimento - foi transformado em uma comunidade fortificada.

O anfiteatro romano era um dos maiores do mundo romano. Crédito da foto © Gillian Thornton

O centro do palco

Restaurada ao seu propósito original no século 19, a arena ainda hospeda uma variedade de eventos, incluindo os Courses Camarguaises ou Corridas de Touros. Realizados durante julho e agosto, essas competições tradicionais exigem jovens corajosos - os raseteurs - para arrancar rosetas dos chifres virados para cima do gado negro nativo. Nenhum animal é ferido, embora os corredores corram o risco de alguns cortes e hematomas desagradáveis, e em toda a Camargue, estátuas são erguidas para os touros de competição mais lendários.

A uma curta caminhada da arena, o teatro romano de Arles é palco de eventos de verão de natureza menos frenética. Esteja atento a concertos e produções teatrais. Se você realmente ama seus romanos, pode mergulhar ainda mais fundo - em todos os sentidos da palavra - em sua vida e época com um tour pelo criptopórtico, uma rede de galerias subterrâneas sob o antigo fórum. Perto do rio, explore as Termas de Constantino ou dirija-se ao Museu Arqueológico de Arles, onde os 1.800 objetos em exibição incluem uma barcaça galo-romana encontrada intacta nas águas do Ródano.

A combinação de arte e arquitetura romana e românica deu à cidade o status de Patrimônio Mundial da UNESCO, junto com o prestigioso selo francês Ville d'Art et d'Histoire. A entrada da Igreja Saint-Trophime na Place de la République é uma joia do século 12, mas não apenas passe: entre no claustro para ver seus capitéis esculpidos, frisos intrincados e galeria superior aberta. O obelisco na praça externa é uma antiguidade esculpida em uma pedreira de granito romana na Ásia Menor e originalmente ficava no circo romano.


Itinerário de um dia em Arles

Com um dia em Arles, você terá muito tempo para ver muitos dos monumentos romanos e locais de Van Gogh, bem como um ou dois museus. Aqui está uma lista de algumas das melhores coisas para fazer em Arles.

Anfiteatro Romano (Arena)

Quer você tenha chegado de trem ou de carro, vá ao Anfiteatro Romano e comece o dia aqui.

Esta arena foi construída em 90 DC e já teve 20.000 espectadores. Isso é cerca de 30.000 a menos do que o coliseu em Roma para se ter uma ideia de seu tamanho - é um pouco menor, mas ainda assim uma façanha incrível. Os espectadores já se reuniam aqui para batalhas de gladiadores e corridas de carruagens.

Você notará duas torres de cada lado da arena. As torres foram acrescentadas no século V, quando a arena foi transformada em uma fortaleza medieval.

Atualmente, a arena recebe touradas e apresentações teatrais.

Teatro romano

Crédito da foto: Leonid Andronov

O Teatro Romano fica ao lado da arena. Este teatro foi construído um século antes da arena, no século 1 aC, quando Augusto era o imperador.

O teatro romano já acomodou 10.000 pessoas e é usado hoje para hospedar muitos eventos teatrais e musicais.

Santo - Claustro do Troféu

A igreja Saint-Trophime foi concluída no século 15 e é uma igreja católica romana.

Você pode visitar o interior do claustro, onde exibe incríveis esculturas nas colunas que retratam muitas cenas bíblicas.

L'Espace Van Gogh

L'Espace Van Gogh já foi um hospital que ficou famoso por Van Gogh. Van Gogh ficou no hospital duas vezes depois de cortar sua orelha durante um episódio maníaco.

Durante sua estada no hospital, ele pintou duas obras - “Jardim do Hospital em Arles” e “Enfermaria do Hospital em Arles”.

O exterior do edifício ainda parece o mesmo de sua pintura no final do século XIX.

O prédio agora é um centro comunitário e o pátio está aberto para os visitantes passearem e se divertirem.

Le Cafe Van Gogh

Crédito da foto: digitalimagination / Getty Images

Dirija-se ao Le Cafe Van Gogh para ver o café que fica no “Le Cafe La Nuit” de Van Gogh.

O café parece quase o mesmo que na pintura, por isso é divertido parar e vê-lo pessoalmente.

Eu, pessoalmente, não comi no café e os comentários do Google também não são convincentes, então não recomendo comer lá. Mas se você tentar, deixe-nos saber como fica nos comentários.

Fundação Vincent Van Gogh

A Fondation Vincent Van Gogh é um museu sem fins lucrativos que homenageia a vida e o legado de Van Gogh.

A fundação apresenta muitas obras de arte de artistas contemporâneos inspirados na época de Van Gogh em Arles. Ele também apresenta muitas das pinturas originais de Van Gogh.

Eu realmente gostei do meu tempo aqui e recomendo visitar se você quiser saber mais sobre a vida de Van Gogh e ver algumas de suas obras de arte pessoalmente enquanto estiver em Arles.

Caminhe ao longo das margens do Rio Ródano

Arles está situada ao lado do rio Ródano, que vai da Suíça ao Mar Mediterrâneo.

Reserve um momento e caminhe ao longo das margens do rio e aprecie as vistas.

Passeie pelas ruas

As ruas de Arles são incrivelmente charmosas. Uma das minhas atividades favoritas é passear pelas ruas antigas, visitar lojinhas, comprar um doce ou gelato e simplesmente passear lentamente pela cidade.

Certa vez, descobri uma loja de arte localizada no final de uma rua ventosa. Peguei alguns materiais de arte para desenhar durante meu tempo na Provença, depois de me inspirar em Van Gogh.

Você nunca sabe o que vai descobrir. . .

Os Alyscamps

O Alyscamps é um cemitério romano e medieval localizado a cerca de 10 minutos a pé da arena.

Esta também é uma parada no passeio a pé de Van Gogh, uma vez que foi o cenário de várias de suas pinturas. É uma bela área para passear e explorar a história.

A casa amarela

A “casa amarela” foi o estúdio e residência de Vincent Van Gogh durante a sua estada em Arles. A casa não está mais lá, mas o prédio que ficava atrás da casa amarela na pintura ainda está lá.

O Mercado de Arles

Visitar um mercado na Provença é imperdível! O mercado de Arles está aberto o ano todo, todas as quartas e sábados de manhã, das 8h às 13h. A feira de quarta-feira é bem menor e fica no Boulevard Émile-Combes. O mercado de sábado tem muito mais vendedores e fica no Boulevard des Lices.

O mercado está repleto de produtos frescos, queijos, carnes, azeitonas, vendedores de alimentos, roupas e muito mais. Se você tiver tempo, eu recomendo parar, mesmo que apenas por um momento, para experimentar um mercado no sul da França!

Se você tiver mais tempo. . .

Se você tiver mais tempo no dia em Arles, aqui estão mais algumas recomendações de museus e ruínas romanas para visitar.

  • Cryptoporticus - passagens subterrâneas que datam do século I AC.
  • Banhos de Constantino - ruínas de banhos públicos originalmente construídos no início do século 4 durante o reinado de Constantino.
  • Museu Reattu - um museu de belas artes com obras de arte contemporâneas, fotografia e desenhos de Pablo Picasso
  • Museu de Antiguidades de Arles - exibe muitas antiguidades e artefatos do período romano em Arles.

Passes de desconto

Se você planeja visitar vários monumentos romanos e um ou dois museus, recomendo comprar um dos passes de desconto de Arles.

Existem dois passes - Pass Avantage e Pass Liberte.

Passe Avantage - este passe dá a você uma entrada em cada um dos monumentos e 3 museus. Custo: € 16

Passe Liberte - este passe dá a você entrada para 1 museu, 4 monumentos e o museu Reattu. Custo: € 12

Observação - esses passes não incluem a entrada na Fundação Vincent Van Gogh.

Eu recomendaria o Passe Liberte por um dia em Arles. Você deve ter tempo para 4 monumentos mais um ou dois museus se for rápido. Cada monumento custa € 4- € 6, então você economizaria apenas visitando os monumentos romanos com o passe.

Para comprar esses passes, visite o posto de turismo em Arles quando chegar ou reserve os bilhetes online com antecedência.

Les Rencontres d'Arles

Les Rencontres d'Arles é um festival anual de fotografia realizado durante os meses de verão de julho a setembro.

Se você estiver visitando durante estes meses, então você pode planejar com antecedência e assistir a uma exposição, um workshop ou uma apresentação que será realizada durante o festival.

Para mais informações, acesse o site oficial do evento.

Como chegar a Arles

De carro: Arles está localizado a apenas 1 hora e 15 minutos a noroeste de Marselha e 45 minutos ao sul de Avignon. É uma viagem perfeita de um dia saindo de uma das maiores cidades da região.

De trem: compre seus ingressos na OUI SNCF com antecedência aqui.

O trem de Marselha leva de 45 minutos a 1 hora e custa cerca de 32 euros ida e volta. O trem de Avignon leva 30 minutos e custa cerca de 17 euros ida e volta.

É cerca de 10 minutos a pé da estação ferroviária para o anfiteatro romano (centro da cidade).

Locomovendo-se em Arles

Uma vez em Arles, é fácil andar por aí. Tudo está a uma caminhada de 10-15 minutos um do outro, e a cidade é tão charmosa que você vai querer explorar as ruas o máximo que puder.

Por exemplo, o anfiteatro romano da Fundação Vincent Van Gogh fica a apenas 7 minutos a pé.

Arles é uma das minhas cidades favoritas na Provença, com muita história para aprender e arte para ver. Deixe-nos saber se você tiver alguma dúvida sobre o seu dia em Arles ou alguma sugestão nos comentários!


Indo às Termas de Constantino em Arles

Parece que Arles é uma cidade conhecida pelas suas ruínas romanas muito bem preservadas. Eu não sabia quantos locais do Império Romano visitaria nesta viagem. Isso ajudou a aumentar minha compreensão da história desta região, bem como do estilo de vida das pessoas daquela época. Claro que eles não têm conveniências modernas como eletricidade, mas fiquei surpreso com o quão sofisticada era a vida das pessoas naquela época. Um dos lugares que eu visitaria aqui em Arles são os banhos romanos que parecem fazer parte da lista de Arles do Patrimônio Mundial da UNESCO.

Um arco nas Termas de Constantino em Arles

Este lugar fica fora do centro da cidade e eu os encontrei assim que cheguei na cidade principal. Há um bilhete que permite visitar muitos locais aqui em Arles e penso que é de grande valor visto que estes locais são muito interessantes. Esses banhos são oficialmente chamados de Banhos de Constantino ou Thermes de Constantin. Aparentemente, essas estruturas eram muito importantes e populares, pois as pessoas viriam aqui para se banhar. Não tenho certeza se os romanos tinham água encanada naquela época, mas ter um local público para tomar banho provavelmente resolve o problema de higiene. Os banhos aqui em Arles parecem estar em ruínas. Espero que ainda haja algo para ver aqui.


Veja também

  • Para as termas em geral, consulte H. Jordan, Topographie der Stadt Rom, pp. 438‑441 Rheinisches Museum fur Philologie, Neue Folge, 1894, 389-392 Jord. II.526-528 O. Gilbert, Geschichte und Topographie der Stadt Rom em Altertum (Leipzig 1883-1890), vol. III p. 300 Realencyclopädie der classischen Altertumswissenschaft, vol. IV, 962-963 Reber, Die Ruinen Roms, 2ª ed. (Leipzig, 1879), pp. 496-500 Canina Ed. 4. pls. 220-222 Memorie della Classe di Scienze Morali, Storiche e Philologiche della R. Accademia dei Lincei, série 5, 17 (1909), pp. 534, 535., do Dicionário Topográfico de Platner de Roma Antiga

6. Passeio autoguiado por Van Gogh

Trilha Van Gogh | Allen Sheffield / foto modificada

Os turistas podem refazer os passos de Vincent van Gogh seguindo a trilha dos locais onde o artista criou algumas de suas obras mais conhecidas. Os destaques deste passeio a pé autoguiado incluem o café ao ar livre & # 233 na Place du Forum, que serviu de cenário para o Café & # 233 Terraço à noite (Le Caf & # 233 Le Soir) pintura, e a localização do célebre Noites estreladas (La Nuit Etoil & # 233e) quadro.


Arles, uma cidade de arte e história da província, com muitos locais da UNESCO.

Arles (52.000 residentes) está localizado no Provença região, e fica em uma colina baixa onde o Rhône rio se divide em dois braços formando o Delta de Camargue. A comuna é a maior da França, com cerca de 170.000 acres. É talvez mais famoso fora da França por inspirar Van Gogh, o lendário impressionista holandês, que pintou mais de 200 obras de arte em Arles, incluindo a muito amada & quotGirassóis' e 'Starry Night Cafe'.

Como muitas cidades da Provença, Arles é uma metrópole antiga. Foi estabelecido pela primeira vez como 'A linha'no século 6 aC pelo Gregos. Em 535 AC, foi capturado pelo Celtic Saluvii quem mudou o nome Arelate. o Romanos então assumiu o controle em 123 aC e construiu um canal a partir dele até o mar Mediterrâneo, o que a tornou uma importante cidade portuária. Arles desempenhou um papel crucial em jogos de poder político posteriores, incluindo um ataque de Júlio César contra Pompeu em 40 AC. A cidade atingiu o seu apogeu durante os séculos IV e V, quando foi frequentemente utilizada como quartel-general dos imperadores romanos durante as campanhas militares. Sua história daquele ponto em diante é muito mais extensa e diversificada em detalhes, mas é sua riqueza em antiguidades e ruínas (incluindo a muralha medieval que ainda circunda a cidade e a antiga arena onde as touradas ainda são disputadas hoje) que fazem Arles uma cidade moderna particularmente excitante.

Hoje, Arles é a porta de entrada para Camargue, terra do Ciganos e ponto de encontro da Camargue vaqueiros. o ferias ou corridas de touro e as touradas são realizadas nesta mesma arena (12.000 lugares) que foi palco dos jogos romanos no primeiro século.

Van Gogh estabeleceu-se em Arles em Fevereiro de 1888, após o que pintou mais de 200 telas em 15 meses. Durante esse tempo, ele não vendeu fotos, estava na pobreza e sofreu crises nervosas recorrentes com alucinações e depressão. Ele ficou entusiasmado com a ideia de fundar uma cooperativa de artistas em Arles e, no final do ano, juntou-se a ele Gauguin. Mas como resultado de uma briga entre eles, Van Gogh sofreu a crise em que ocorreu o famoso incidente em que cortou a orelha esquerda (ou parte dela), fato comemorado em seu Auto-retrato com orelha enfaixada . Em maio de 1889, ele foi a seu próprio pedido para um asilo em St Rémy, perto de Arles, mas continuou durante o ano em que passou lá uma produção frenética de imagens tumultuadas como Noite Estrelada. Ele fez 150 pinturas além de desenhos no decorrer deste ano. A beleza de Arles inspirou Van Gogh e, em troca, Van Gogh certamente teve uma "impressão" em Arles. Caminhando pelas ruas da cidade, você não pode deixar de sorrir ao se deparar com cenas familiares - todas diretamente da tela de Van Gogh.

As ruas estreitas de Arles têm um caráter verdadeiramente medieval, serpenteando entre edifícios e casas antigas. Ao contrário de outras cidades provençais, as principais atrações de Arles (o Arena e teatro romano) estão aninhados diretamente na agitação da vida diária, em vez de espalhados nos arredores da cidade. O tráfego de automóveis é permitido em muitas ruas, mas andando (ou alugar uma bicicleta) é uma alegria nesta cidade encantadora - e quase tudo está a uma curta distância. Há um parque sereno com bancos e passarelas curvas ao longo Blvd des Lices, perto do final do Roman & quotTeatre Antique & quot. Cedros gigantescos oferecem sombra.

o Organização do Patrimônio Mundial (UNESCO) reconhece Arles como um excelente exemplo de uma cidade antiga adaptada à civilização europeia medieval. Seus principais monumentos & quotratificados & quot são:

  • Anfiteatro (Arena Romana) construída por volta do ano 90 DC, tinha capacidade para 20.000 espectadores. Até o final do século 5, ainda hospedava lutas de gladiadores e caças de animais.
  • Teatro Antigo (Teatro Romano) que data do século 1 a.C. e era regularmente usado para peças de teatro, mímica, pantomima
  • o Criptopórtico - galerias subterrâneas - Estas passagens subterrâneas foram usadas como fundações para o Fórum Romano.
  • o Fórum é onde os edifícios administrativos e religiosos romanos estavam localizados. Esta é a praça onde o Hotel Nord-Pinus e o famoso & quotyellow cafe & quot estão localizados.
  • Restos de O circo romano
  • Banhos de Constantino (Banhos romanos) construídos durante o século 4
  • o Alyscamp cemitério (cemitérios que datam da época romana, muito ricos em história)
  • o Museu Arqueológico de Arles (da pré-história ao fim do Império Romano)
  • Cloitre Saint-Trophime: igreja com o seu claustro, que é um dos principais monumentos românicos da Provença.
  • Musee Reattu (inclui mais de 70 desenhos de Picasso)
  • Museon Arlaten (Museu da Cultura Local e do Folclore)

Há muitas atrações adicionais em Arles para detalhes completos, visite o escritório de turismo de Arles.


Banhos de Constantino em Arles

Uma das inovações mais surpreendentes do Império Romano foi o uso da água. Civilizações antigas teriam construído cidades perto de rios como fonte de água doce. Isso tornaria a cidade sustentável, já que as pessoas não teriam que cavar poços para encontrar água. Isso também ajudou a aumentar o tamanho das cidades, uma vez que uma boa fonte de água garante uma fonte confiável de água. O que tornava os romanos diferentes era o uso de aquedutos para transportar água para lugares onde não havia grande quantidade. Isso permite o estabelecimento e o desenvolvimento de cidades em locais inabitáveis.

Janelas nas Termas de Constantino em Arles

Assim, por causa da engenharia romana, os romanos podiam ter água em abundância em suas cidades. Embora provavelmente não fosse um moderno, pois tinha água diretamente no apartamento, mas essas eram fontes de água de fácil acesso. Com essa abundância de água, os romanos podem se dar ao luxo de ser um pouco mais extravagantes com o uso da água. Por exemplo, algo tão mundano como banhos agora pode ser feito. Os banhos públicos foram construídos na cidade e se espalharam por todo o império. Como resultado, as pessoas poderiam ir aos banhos e se limpar. Entre estes, os Banhos de Constantino são bastante conhecidos. Existe um bem conhecido em Roma, mas existem outros em todo o império. Há uma na cidade de Arles que costumava ser capital de província.


Assista o vídeo: Roma Antiga - Constâncio Cloro - O Pai do Constantino


Comentários:

  1. Lorne

    Nele algo está e é uma boa ideia. Eu te ajudo.

  2. Bamey

    Quero dizer, você permite o erro. Entre, vamos discutir isso. Escreva para mim em PM, vamos lidar com isso.



Escreve uma mensagem